SÉRGIO SILVA: Crise nas contas de SC, e PMDB não sabia?

PUBLICADO EM: 19/04/2018 - 18:00 | ATUALIZADO EM: 20/04/2018 - 1:45

POR SÉRGIO SILVA | PARA: DIÁRIO DO COTIDIANO | FALE CONOSCO

O recente pronunciamento do governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), dando conta das dificuldades financeiras enfrentadas pelo Estado, sobretudo no que se refere aos gatos com a folha de pagamento do funcionalismo público, repercutiram na sessão plenária realizada na manhã desta quinta-feira (19) na Assembleia Legislativa.

O deputado Dirceu Dresch (PT) afirmou que, apesar de preocupante, o fato não chega a ser uma novidade, já tendo sido, inclusive, objeto de diversos pronunciamentos realizados por ele na tribuna da Casa. “Em diversas oportunidades alertei sobre os altos investimentos em publicidade feitos pelo governo para tentar maquiar esse quadro. Inclusive propomos aqui uma CPI [Comissão Parlamentar de Inquérito] para investigar as manobras e jeitinhos que tomaram nos últimos anos para tentar fechar as contas, como passar a mão no fundo de previdência dos servidores públicos, ou a transferência de recursos da Celesc. Um dia essa situação teria que vir à tona.”

O parlamentar também criticou a decisão de Pinho Moreira em promover a redução de 230 cargos comissionados e funções gratificadas no âmbito da estrutura do Poder Executivo. “Temos claramente um grave problema de gestão administrativa que se arrastou pelos últimos anos e agora chega o governador e diz que a culpa é do servidor público. Fizemos um levantamento e vimos que essas demissões vão resultar em somente R$ 2 milhões por ano, quantia claramente insuficiente para resolver a questão.”

Como alternativa, ele propôs que o governo coloque em discussão a redução dos salários pagos às categorias de servidores públicos que recebem vencimentos mais elevados, as aposentadorias e pensões pagas a ex-governadores e a política de isenções fiscais praticada no estado.

Já o deputado Doutor Vicente Caropreso (PSDB), mesmo reconhecendo que o seu partido tomou parte das ações administrativas firmadas nos últimos oito anos, disse que o governo errou ao realizar uma série de financiamentos para tentar manter uma imagem positiva perante a população catarinense, com o desenvolvimento de obras de vulto como a reforma da ponte Hercílio Luz, em Florianópolis.


O que mais impressiona é o fato de o PMDB vir a público, convocar impressa e jogar as coisas no ventilador, não culpando diretamente Raimundo Colombo (PSD), mas dando a entender isso. Mas fica a pergunta depois de tantos anos como vice Eduardo Pinho Moreira não sabia de nada disso?.

De duas uma ou ele não sabia mesmo, a menos provável, ou sabia e esperou o momento certo para soltar a bomba e com isso ganhar credibilidade por ser um gestor responsável que diz colocar as contas em ordem, logicamente de olho nas eleições em outubro, Mauro Mariani que se cuide.

COMENTE SOBRE ESSA MATÉRIA

COMPARTILHE