Vítimas de violência doméstica terão prioridade no SUS, entenda

PUBLICADO EM: 13/04/2018 - 0:09 | ATUALIZADO EM: 13/04/2018 - 1:12

DA REDAÇÃO | PARA: DIÁRIO DO COTIDIANO | FALE CONOSCO

A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou, na quarta-feira (11), proposta que garante prioridade de atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS) para a cirurgia plástica reparadora de sequelas de lesões causadas por atos de violência contra a mulher.O texto aprovado foi o substitutivo da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher ao Projeto de Lei 2362/15, do deputado Alfredo Nascimento (PR-AM). Esse substitutivo recebeu parecer favorável do relator na Comissão de Seguridade, deputado Hiran Gonçalves (PP-RR), com subemenda.

O projeto original garante o direito à cirurgia plástica reparadora e prevê a prioridade de atendimento para o procedimento no SUS. Porém, conforme destaca o relator, esse direito já está assegurado à mulher vítima de violência pela Lei 13.239/15. Esta lei não fixa, porém, o direito à prioridade de atendimento – e esta parte do projeto foi mantida no substitutivo.

A subemenda apresentada pelo relator estabelece ressalva para os casos de urgência e emergência definidos pela equipe técnica. “Na conjuntura atual do SUS, de ampla desassistência, há sempre longas filas de espera para a cirurgia plástica”, disse Gonçalves. “ A hierarquia de prioridades na prestação de atendimento deve considerar especialmente a gravidade e a emergência do quadro clínico”, completou. O texto acrescenta dispositivo à Lei Maria da Penha (11.340/06).

COMENTE SOBRE ESSA MATÉRIA

COMPARTILHE