Postos de combustível começam a reduzir preço do GNV em Santa Catarina

PUBLICADO: 27/07/2016 - 13:55 | ATUALIZADO: 27/07/2016 - 13:55

DA REDAÇÃO | FALE CONOSCO

Os 91 mil motoristas com veículos emplacados adaptados ao uso do Gás Natural Veicular (GNV) em Santa Catarina estão começando a sentir a redução tarifária, que está em vigor desde o dia 10 de julho. Após solicitação da SCGÁS e decisão da agência reguladora estadual, a tarifa para o segmento automotivo teve redução de 17,8% no preço praticado aos postos e foi retirado o desconto de oito centavos que a SCGÁS concedia aos clientes desde 2014.

Com isso a redução média foi de 13,06% no valor repassado pela SCGÁS aos postos, que são os responsáveis pela definição do preço ao consumidor final. O resultado da queda da tarifa já pode ser vista em algumas cidades do estado. Segundo dados da ANP, coletados alguns dias após vigorar a nova tarifa, ao menos nove postos no estado já praticavam valores abaixo de R$ 2,10 por m³. A tendência é que até o fim do mês mais postos reduzam o preço do GNV para os motoristas.

A redução aumenta ainda mais a competitividade do GNV em comparação aos demais combustíveis. Segundo dados da ANP, o preço médio de venda da gasolina em Santa Catarina na primeira quinzena de julho foi de R$ 3,44/litro, enquanto o etanol foi comercializado por R$ 2,99/litro. Levando em conta os postos que já comercializam o GNV por R$ 2,09/m³, o motorista que abastecer R$ 50 percorre 314 km com o GNV, 156 km com a gasolina e 125 km usando o etanol. Ou seja, com esse preço o GNV tem vantagem de 51% sobre a gasolina e 60% para o etanol.

“O GNV sempre apresentou economia real aos usuários e continua sendo a alternativa mais viável para pessoas e empresas que buscam otimizar seus custos relacionados a deslocamentos e logística, principalmente na conjuntura econômica atual. Além disso, o GNV também polui muito menos quando comparado com os demais combustíveis”, destaca o coordenador Automotivo da SCGÁS, Ronaldo Lopes.

A redução no preço também é válida para as cidades que são atendidas pelo Gás Natural Comprimido (GNC), e não pela rede de distribuição. Nesse caso houve a retirada do desconto de 11 centavos que a SCGÁS concedia aos clientes, deixando em 13,16% a redução no valor comercializado para os postos de combustível. Por ser transportado para regiões afastadas usando caminhões, o custo logístico impacta no preço do GNV dessas cidades, e a redução tarifária permite que exista mais competitividade entre os postos atendidos com rede e pelo GNC.