Polícia Civil desarticula organização criminosa no Oeste de SC

PUBLICADO: 02/05/2018 - 18:33 | ATUALIZADO: 02/05/2018 - 18:33

DE VICTOR HUGO - PARA: DIÁRIO DO COTIDIANO | FALE CONOSCO

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Chapecó, deflagrou nesta quarta-feira (2) a operação Dragão de Komodo com apreensão de pelo menos 40 quilos de maconha e a prisão de um grande traficante chapecoense, de dois de seus associados, bem como à apreensão de um adolescente utilizado como “mula” do tráfico. “Até o momento foi possível extrair 83 (oitenta e três) tabletes de maconha, que totalizam quase de 40 (quarenta) quilos, sendo possível que mais droga seja encontrada após a remoção mecânica de peças que permitem acesso a outros compartimentos do veículo. A droga foi extraída de praticamente todas as partes do automóvel, que fora previamente preparado para o tráfico, destacando-se a parte frontal e os forros das portas e bagageiro”, observa o Delegado Wagner Meirelles.

Esta é a terceira grande apreensão de droga da quadrilha neste ano. Em março, informações levantadas pelos policiais civis da DIC de Chapecó levaram à apreensão de um FIAT/Uno recheado com mais de 30 (trinta) quilos de maconha na região de Céu Azul (PR). Posteriormente, já no início do mês de abril, novas informações levaram à apreensão de outro FIAT/Uno carregado com 110 (cento e dez) tabletes de maconha no Paraná, desta vez em Santa Terezinha de Itaipu (PR). Com a de hoje cerca de 120 quilos de maconha foram retirados de circulação. Essas cargas pertenciam ao mesmo grupo criminoso alvo da operação desta quarta-feira e a droga apreendida possivelmente se destinava à cidade de Chapecó. Quatro indivíduos foram presos durante essas ocasiões.


Informações levantadas pela equipe de investigação apontam que somente neste ano de 2018 a organização criminosa desarticulada foi responsável pelo transporte de grandes carregamentos de droga da região de Foz do Iguaçu/PR para Chapecó/SC com periodicidade mensal.

O trabalho da DIC de Chapecó resultou na apreensão de aproximadamente 120 (cento e vinte) quilos de droga pertencente à mesma organização criminosa e ainda permitiu a prisão de ao menos sete de seus integrantes.

O nome da operação é uma referência ao grande poder destrutivo do réptil de Komodo, que é capaz de matar uma presa com uma única mordida em virtude de bactérias e veneno alojados em sua boca. A organização criminosa desarticulada na data de hoje não era diferente, pois à revelia de diversas apreensões anteriores, continuava a assolar a região de Chapecó/SC com dezenas de quilos de droga trazidos mensalmente, provocando a destruição de famílias locais e fomentando a prática de inúmeros outros crimes.


COMENTE SOBRE ESSA MATÉRIA

COMPARTILHE