Alunos de Joinville aprendem robótica com diversão

PUBLICADO: 27/07/2018 - 16:14 | ATUALIZADO: 27/07/2018 - 16:14

DE VICTOR HUGO - PARA: DIÁRIO DO COTIDIANO | FALE CONOSCO

Alunos da Escola Municipal Professor Orestes Guimarães, em Joinville, interromperam as férias escolares para uma atividade cheia de desafios e aprendizado. Nesta sexta-feira (27), das 8h às 15h30, 35 alunos participaram do projeto Robotics Fan – Segurança no Trânsito, numa ação em parceria com o Instituto GM.

Os estudantes, de turmas do 5º ao 9º ano do Ensino Fundamental, com idade entre 10 e 15 anos, estavam concentrados nas tarefas de programação, realizadas com uma esfera simulando um veículo, para testes de freio, impacto, velocidade, entre outras, sob orientação dos monitores do AIDTEC (Associação Internacional de Desenvolvimento e Tecnologia). A associação, de Gravataí (RS), é patrocinada pelo Instituto GM há cerca de 10 anos. “A turma me surpreendeu, pois eles têm bastante conhecimento básico”, comentou o monitor Ezequiel Mross.

Leonardo Graper, 15 anos, aluno do 9º ano, já habituado com jogos de robótica, contou como foi a experiência. “Estou gostando e ajudando os colegas. O legal desta atividade é que, diferente do jogo, sai do mundo virtual para ver ao vivo a aplicação em algo real”. A aluna do 6º ano, Zaira Warmling, 12 anos, achou um pouco difícil, mas muito interessante e espera que ocorram novas ações. “Estamos aprendendo algo sério em forma de brincadeira, o que torna mais fácil e divertido”, explicou Zaira.

O foco principal do Instituto GM é a educação e a conscientização a respeito do trânsito, nas comunidades. Com o projeto de robótica buscam despertar nos jovens o raciocínio lógico, por meio de atividades que incentivam o trabalho de equipe e a percepção de que conseguem fazer. A presidente do instituto, Daniela Kraemer, gerente de Relações Públicas e Governamentais da GM, destacou que a programação do robô e os conceitos de cuidados no trânsito são convidativos porque a aplicação é de forma lúdica.

“É muito interessante os alunos vivenciarem as questões das disciplinas de matemática e física neste tipo de exercício, além de vislumbrarem novas possibilidades no mercado de trabalho”, complementou a diretora da Escola Orestes Guimarães, Maria do Carmo.

Projeto Robótica nas escolas

A atividade que acontece na escola Oreste Guimarães é um complemento das aulas de robótica de que a unidade já realiza com os alunos durante o ano letivo. Desde 2017, a Secretaria de Educação iniciou a implantação do projeto de robótica nas escolas. O objetivo é que o aluno conheça noções de construção e desenvolvimento de projetos, mas principalmente forme um cidadão capaz de resolver questões em várias áreas de conhecimento.

As aulas de robótica ocorrem no contraturno escolar, seja na própria unidade, por meio dos kits móveis, ou nos laboratórios instalados no Centro XV e Cesita. A meta é que, em 2018, mais de cinco mil alunos participem do curso de 20 horas.

Da Secom.

COMENTE SOBRE ESSA MATÉRIA

COMPARTILHE