Setor de turismo poderá sofrer alterações com nova política

PUBLICADO: 19/03/2019 - 14:41 | ATUALIZADO: 29/03/2019 - 15:40

DA AGÊNCIA CÂMARA - PARA: DIÁRIO DO COTIDIANO | FALE CONOSCO

O Plenário da Câmara dos Deputados pode votar nesta terça-feira o projeto de lei que reformula dispositivos da Política Nacional do Turismo (PL 2724/15).

De acordo com o substitutivo do deputado Paulo Azi (DEM-BA), as agências de turismo não serão mais classificadas em agências de viagem e agências de viagens e turismo, revogando-se a exclusividade no fornecimento de alguns serviços, como venda de pacotes e passagens; planejamento de viagens; e organização de roteiros ou de viagens educacionais ou culturais.





Já a responsabilidade da agência de turismo será objetiva e solidária, ou seja, somente após esgotados os meios jurídicos de se obter indenização do prestador final do serviço é que ela pode ser acionada para ressarcimento ao usuário.

Em relação aos quartos adaptados, Paulo Azi muda o Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei 13.146/15) para diminuir de 10% para 5% a quantidade exigida de dormitórios acessíveis às pessoas nessa condição nos hotéis, pousadas e similares já existentes quando da publicação daquela lei.

O projeto também permite ao capital estrangeiro controlar empresas aéreas com sede no País, o que já foi autorizado por meio da Medida Provisória 863/18, que aguarda análise de comissão mista do Congresso Nacional.


DEIXE SEU COMENTÁRIO...